O que tenho aprendido sobre submissão

Me refiro, aqui, à submissão da esposa ao marido.

Como algumas de vocês devem saber eu sou casada há exatos 1 ano e meio, recém-casada ainda, no começo de uma relação a dois, com toda uma vida pela frente. Você pode pensar: “O que esta jovem tem a me ensinar?”. Na verdade, eu quero compartilhar com você e tenho esperança que o Espírito Santo ensine através das minhas palavras.

Sabe, no meu pequeno mundo de criança, pais divorciados era muito comum. Vários amiguinhos meus tinham pais divorciados, meu vizinhos bebiam, brigavam, se ofendiam, esposas envergonhavam maridos e os maridos às esposas.

A esta altura você pode estar pensando: “Mas o quê isto tem a ver com a submissão?”, Eu explico. Eu cresci e me desenvolvi na minha adolescência e juventude formando uma opinião equivocada do que era relacionamento conjugal.

Eu cresci e me tornei muito independente, não entendia a submissão e obediência da forma correta. Saia, chegava em casa a hora que quisesse, meu salário era somente pra mim, não ajudava em casa e ainda era ausente. Só dormia em casa.
Eu estava completamente errada, traçando um caminho que me faria mal.
Então, eu aprendi a me virar, a tomar as próprias decisões, a “ser dona do meu próprio nariz”. Isso gerou uma falsa independência e auto-suficiência, me fazendo acreditar que não precisada do outro. Afinal, sempre me virei só.

Sim! A minha mãe me repreendia, chegou a me dar uma surra de cinturão (já com 16 anos + ou -), mas mesmo assim. Eu não queria saber de aprender.
Entendo que minha mãe e meu pai fizeram o que foi possível para tentar me corrigir e eles conseguiram. (Mas isso é história pra outro post)

Pois, bem! Estar num relacionamento pra mim significava apenas ter as minhas vontades supridas e quando não estava mais bom eu, simplesmente, descartava. Com 16, quase 17, anos eu me converti ao Senhor e a partir de então iniciou o processo de cura e aprendizado, que ainda está em andamento.

Eu não conseguia simplesmente aceitar que uma mulher fosse submissa a um homem. Que uma mulher tivesse que dar satisfação para o marido para comprar, sair, fazer acontecer. Isso tudo acontecia porque a minha visão de submissão era completamente errada, diferente da verdade.
(Veja não estou dizendo que a mulher não teve ter autonomia, mas quando se é um casal, tudo se resolve como um casal.)

Eu aprendi (errado), observando as histórias das mais velhas, sobre como era no tempo delas o tratamento dos maridos, a rispidez, a anulação das próprias vontades e até mesmo a infelicidade de um casamento por conveniência.

A questão é que CASAMENTO é algo formado por DUAS PESSOAS. Desta forma, eu não posso falar da submissão sem falar do AMOR que o marido deve ter para com a esposa.

Mulheres, sujeitem-se a seus maridos, como ao Senhor,
pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, que é o seu corpo, do qual ele é o Salvador.
Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos.
Maridos, amem suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela
para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra,
e apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável.
Da mesma forma, os maridos devem amar as suas mulheres como a seus próprios corpos. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo.

Efésios 5:22-28

Você acredita em Deus?! Se sim, acredita na bíblia como Palavra do Senhor. Desta forma, Ela não mente.
Sendo assim, se a bíblia diz que devemos nos submeter aos nossos maridos, nós precisamos SABER ESCOLHER.

Sim mulheres! Se você já percebe que o cara é mulherengo, mentiroso, não mantém a própria palavra, é enrronlado, não tem coragem pra resolver as coisas, você não consegue conversar e resolver as coisas com ele, percebe que ele não te ama, vê que ele não trata bem a família e mesmo percebendo tudo isso ou algumas dessas coisas decide casar com ele porque ele É BONITINHO.. E ainda não quer sofrer depois?! Filha, deixa eu te falar, você precisa ser inteligente. Não estou dizendo que a paixão não deve existir no casamento, estou dizendo que a inteligência precisa existir.
Você precisa observar o rapaz com quem você namora. Se o cara só quer saber de ficar deitado no sofá o dia todo jogando vídeo-game e assistindo jogo, não reclama quando você tiver que se matar que nem uma louca pra sustentar a casa e ele ficar te sugando.

Tá certo que existem coisas que não descobrimos sobre a outra pessoa até que casemos, mas se essas coisas já estão gritante antes do casamento, repense esta relação.

Observe como é o tratamento dele com a mãe, com as irmãs, com as outras mulheres, como ele pensa. Você precisa saber se gosta das qualidades e se aguenta os defeitos que ele tem. (Ele idem)

Estou falando isso, para que lá na frente não seja difícil ser submissa ao seu marido.
Sub-missão é estar debaixo da missão do marido. É se sujeitar a ele, é entender que Deus deu a ele a liderança da sua casa.
E se o seu relacionamento com o seu esposo é harmonioso, vocês conseguirão entrar em um acordo de algo que seja bom para os dois, quando pensarem diferente.

Maridos, amem suas mulheres

Se você se sente amada, é mais fácil pra você se submeter. Quando você vê que seu marido te ama, que faz tudo para você ser feliz, você sente vontade de querer agradá-lo. Não sente?! Eu sinto.

Hoje aprendendo à luz da palavra de Deus a minha forma de ver as coisas mudaram. Hoje eu quero ser submissa e quero honrar o meu marido. Hoje casamento é para a vida toda e é preciso haver renúncia de ambas as partes.

Pra mim, relacionamentos não são mais descartáveis, não vejo mais o divórcio como uma opção que pode ser escolhida a qualquer momento se as coisas não estiverem indo bem. Eu prezo demais pelo meu lar e penso muito sobre isso. Sobre o que estou fazendo que pode estar prejudicando a harmonia da minha casa, se estou sendo chata demais, cri cri demais. Procuro me policiar e me corrigir, porque eu quero que meu marido se sinta bem e feliz comigo, na minha companhia.

Eu aprendi a me submeter à missão dele, obedecendo a vontade de Deus. E porque nós nos amamos, é mais fácil fazer isso.

Eu tenho muito a aprender e a minha caminhada está apenas começando. Por isso, eu quero deixar um vídeo com vocês. Ele é longo, já aviso, mas vale cada minuto.

Entendo a verdade, seremos libertadas das mentiras que esse mundo tem pregado e seremos felizes.

Deus abençoe vocês!

Beijos

Wanessa Galdino

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s