Diário de gravidez: O parto

Segunda-feira, dia 05/09.

Acordei com uma leve cólica, como já tinha sentindo outras vezes durante a gravidez, mas como já estava com 40 semanas e 2 dias, estava atenta a qualquer sinal diferente no meu corpo. Já de licença maternidade e com uma rotina apenas de descanso, tomei café e fiquei enrolando aqui por casa, nada de serviço doméstico. Dia de feriado também na cidade onde moro, meu marido em casa…estava tudo certo.

Às 11:40 percebi que estava sentindo contrações, leves, bem leves…mas iam e vinham e comecei a contar num App o tempo de duração e a distância entre elas.. 7 em 7 mim.. depois de 15, 11, 23 minutos.. Estavam irregulares, conforme minha médica havia me instruído que seriam. E duravam em média 40 segundos.

Já estávamos programando ir ao hospital, só pra se certificar de que estava tudo certo (Mãe de primeira viagem, prefiro pecar por excesso.. então não tinha problema nenhum pra mim em ir ao médico só pra ouvir o coraçãozinho dela, mesmo que soubesse que voltaria pra casa). À noite tive um leve sangramento, percebido durante o banho, chamei meu marido, pegamos todas as malas e bolsas e fomos para o hospital (vai que… né rs).

Chegando lá fomos atendidos normalmente, as dores estavam muito tranquilas.. Até tirei um cochilo enquanto aguardava atendimento. A médica que me atendeu, seria a mesma que faria minha cesárea eletiva (agendada) na quarta-feira, junto com a médica amiga do meu marido que comentei no último post do diário de gravidez.

Fui examinada e… Oba! Já estava com 2 cm de dilatação, comemorei.. Dilatei mais 1 cm e nem doeu tanto (mal eu sabia o que estava me esperando.. inocente! rs). Sim, porque já vi vários relatos de mulheres que estavam morrendo de dores e estavam apenas com 1 cm de dilatação.

Voltamos pra casa e fui instruída a ficar contando as contrações. Como era de esperar, não dormi bem à noite… Não por causa das contrações, mas mais pela ansiedade, ficava contando cada contração. Tirei uns cochilos entre uma contração e outra.

Terça-feira, dia 06/09.

Lá para às 06h da manhã elas intensificaram um pouco mais, ainda demorava menos de 1 minuto.. Levantamos umas 8h e pouco, tomamos café…e eu acompanhando as contrações, que continuavam irregulares…Às vezes de 10 em 10 minutos, em outros momentos com pausa de 7, 8, 11 minutos de diferença. Resolvemos voltar para o hospital.. Umas 11h + ou -. Chegamos lá as contrações estavam um pouco mais fortes, mas sob controle ainda. Fui examinada pela médica de plantão e estava com 4 cm. Mais um “Oba!”

A médica recomendou que eu fossemos almoçar, caminhar um pouco e voltássemos às 14h, que eu seria internada. Fiz o recomendado, fomos almoçar nas proximidades e voltamos. Fiz o exame de toque novamente e não tinha evoluído muito, ainda estava de 4 para  5 cm. O problema é que o exame de toque tinha começado a doer com estes 4 cm. Fui recomendada a ir para a bola, fiquei lá.. pulando na bola pra ver se a dilatação evoluía. Shailon, meu marido, sempre ao meu lado me ajudando a pular na bola, me incentivando.. fiz alguns exames de sangue, tudo tranquilo, graças a Deus e as contrações iam se intensificando gradativamente. Assim passei a tarde, tomei um lanchinho que ofereceram no hospital (bem leve)..caminhava e pulava na bola, assim foi a tarde toda.

Fiz mais um exame de toque e estava com 6 cm, isso era o começo da noite + ou – umas 18h.. A médica perguntou se eu queria ocitocina, que iria intensificar a dor e tornaria as contrações mais regulares acelerando o processo de parto. Fiquei com medo e com dúvida, mas aceitei. Na hora que comecei a receber o medicamento as contrações começaram a vir mais rápido, com pausas de 3 e 2 minutos. Estava conversando com uma amiga pelo WhatsApp que também teve bebê recentemente na mesma maternidade e tudo eu ia perguntando dela, como tinha sido. Ela me falou que também tinha recebido ocitocina, o que me tranquilizou um pouco.

O emocional é fundamental para um parto bem sucedido e confesso que e o meu já estava ficando um pouco abalado.
Já era o início da noite e tinha lanchado novamente, tomado um mingau ou sopa, não lembro, que me deram lá. Começamos a caminhar pelo hospital, o Shailon empurrava aquele ferrinho que tava pendurado a ocitocina que ia recebendo na veia, firme e forte comigo. As dores se intensificavam mais ainda e com ela o meu medo aumentava. Pra completar, uma moça me para no corredor e me dá um papel pra assinar avisando que minha cesárea do dia seguinte havia sido cancelada. “Como assim?” Questionei. E ela explicou que como eu estava internada para parto normal, precisou cancelar a cesárea.. E perguntei, caso eu precise fazer uma cesárea de emergência, como faz? (Meu medo de ter surpresas desagradáveis com meu plano de saúde, depois do último episódio, influenciou bastante).. E ela respondeu… que poderia demorar para autorizar…

Pronto, era o que eu não precisava ouvir naquela hora. Saber que se, caso eu precisasse de uma cesárea de emergência, poderia ficar sofrendo com dores apenas por causa da burocracia… Pronto, a essa altura já tava chorando..Continuei a caminhada e o Shailon sempre tentando me acalmar, que tudo ía dar certo, que a menina só havia sido infeliz no comentário dela.. Num dos corredores que estava mais vazio, desabei a chorar… Chorei por causa da dor, do medo, da falta de segurança com esse lance da cesárea…O Shailon me parou, abraçou e um rapaz que trabalhava lá e estava com um carrinho de coisas do hospital, parou antes de chegar na gente e me deu espaço pra eu me recompor. Continuamos a andar e o rapaz comentou: Ela vai operar né?! (Como se estivesse dizendo que eu não conseguiria ter normal)… o Shailon respondeu: hã?! Vai, vai sim.. Cortando o assunto.
O rapaz poderia não ter feito por mal, mas como eu estava sensível, tudo era motivo para me atingir. Continuei a chorar e o Shailon me parou mais uma vez e falou, vamos orar! Oramos e eu me acalmei mais. A essa altura a médica já tinha feito dois exames em mim sem evolução, ou seja, eu continuava com 6 cm de dilatação, mesmo tomando ocitocina e caminhando pelo hospital. E ela tinha me dado um prazo de 1h pra continuar caminhando e quando voltasse com ela, decidiríamos o que faríamos. Se seria parto normal ou cesárea.(Esta já não era a médica que havia me internado à tarde. Já havia trocado o plantão a esta altura já era umas 20:30)..
Logo após a médica me chamou e me examinou e ainda continuava de 6 para 7 cm. (Já disse que os exames de toque eram muito doloridos né?! Meu colo ou algo do tipo estava alto, o que deixava o exame mais dolorido).. Como já era a terceira avaliação e eu não estava evoluindo a médica recomendou uma cesariana, pois eu poderia ficar sofrendo por mais tempo e no final ter que fazer cesárea. Eu confesso, que não queria mais sentir dor e que a cesariana me pareceu a melhor opção. Então, concordei. Retiraram a ocitocina que eu estava recebendo e fiquei deitada na cama mesmo. Ficar ali parada, não foi a melhor escolha que eu poderia ter feito, pois, as dores ficaram mais fortes. Acho que como eu estava deitada, sem nenhum esforço físico, minha concentração na dor era total. Fiquei um tempo ali aguardando a autorização da cesariana, a médica foi lá com o Shailon pessoalmente no setor de autorização, pedir que acelerassem o processo e graças a Deus não demorou muito. Mas com as contrações, parecia uma eternidade. Graças a Deus foi autorizada e estávamos aguardando o anestesista chegar, o que me chateou também, pois pensei que já teria uma anestesista de plantão. Mas ele também não demorou, graças a Deus.

Enquanto esperava, perguntei se tinha alguma anestesia pra amenizar e nada.. As contrações estavam tão fortes que minha pernas tremiam involuntariamente e eu gemia de dor. O Shailon ali comigo, dizia pra eu ficar calma e que pensasse na Lia. Dentre várias coisas que ele falou, uma marcou bastante. Ele disse: “Pensa que a Lia precisa de você agora”.. E realmente… Ela estava vindo ao mundo e precisava de mim para trazê-la e eu não poderia desistir. Numa das contrações olhei pra ele, e o vi segurando o choro, pois ele não podia fazer nada a não ser ficar ali comigo me apoiando. Meu marido é demais, homem forte e apoiador. Eu amo você por isso meu amor. Ah! minha mãe foi me visitar lá na maternidade enquanto estava em trabalho de parto. Mas ela já tinha ido quando decidimos fazer a cesárea.

Enquanto aguardava a cirurgia, a bolsa estorou…sensação estranha rs… e lá foi mais um exame de toque…com pouca evolução…Logo vieram me buscar e levaram para o centro cirúrgico. Parece que só de ir para a sala de cirurgia as contrações deram um tempo. Fui andando até a sala com o apoio, cheguei lá aplicaram a anestesia em mim, também tava preocupada com isso, mas não doeu tanto e logo foi fazendo efeito. Engraçado que após me aplicarem a anestesia, começaram a passar um negócio na minha barriga e eu falei um pouco desesperada..(Eu to sentindo, eu tô sentindo” e a médica respondeu: Graças a Deus! Quer dizer que você tá viva. kkkkk Eu tava morrendo de medo de começarem a me cortar e eu sentir..aloka
Os médicos me preparam e logo começou a cirurgia. O Shailon entrou na sala de cirurgia e conseguiu fotografar alguns momentos. Logo, eu ouvi o choro entalado dela..
Às 22h de 06/09, terça-feira, com 3.850Kg chegou a minha princesa linda. (E é muito lindaaa visse!)

A cirurgia foi tranquila, senti apenas uma dor no peito, falei o que estava sentindo e a médica disse que era normal, porque estavam mexendo no meu útero e que iria passar. Depois senti sono, falei para o anestesista e ele disse que não tinha me dado nada para dormir, que poderia ser cansaço porque passei o dia em trabalho de parto. Quando estavam finalizando a cirurgia eu cheguei a dar uma leve apagadinha.. alguém perguntou, Tudo bem Wanessa?  Aí.. falaram Wanessa! E eu respondi. tudo.. Dei um leve cochilo.

Assim que a Lia nasceu, levaram ela para outro local e o Shailon foi acompanhá-la. Terminada a cirurgia, me levaram para um outro local e fiquei recebendo soro e medicamentos na veia..Lá eu dormi e perdi a noção de quanto tempo fiquei ali.

A Lia nasceu às 22:00 e a minha cirurgia deve ter terminado umas 22:20 eu imagino.. Quando eu fui para a enfermaria ficar com o Shailon e com a Lia já era 1h da madrugada.. o Shailon já tava preocupado, porque eu ainda não tinha vindo..

Ficamos 3 dias no hospital, tive dificuldades com a amamentação lá, o cansaço e uma anemia aguda. Eu, particularmente, acho que o sono que me deu durante a cesárea foi por causa da perda de sangue.. Mas só acho.. Quando me olhei no espelho após o parto eu estava verde, aham… nem parece que eu tinha sangue..kkk
Precisei receber 2 bolsas de sangue e mais uns remédios pra melhorar e ainda estou me tratando da anemia, mas agora estou bem melhor. Glória a Deus!

Esta foi minha experiência em dar à luz à minha princesinha linda.

img_1894

img_1898

img_1899

img_1911

img_1906

Beijos pessoal. Deus abençoe!

Wanessa Galdino

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s